Buscar

10 forma de descobrir se um alimento é Low Carb


1 - Contando carboidratos


A forma mais antiga para classificar se um alimento é ou não Low Carb é contando a quantidade de carboidratos que tem nele, e incluindo na sua alimentação sem ultrapassar um limite diário. Por exemplo, em algumas dietas, recomenda-se menos de 20g de carboidratos por dia. Assim com tanto que você não ultrapasse esta quantidade, poderia incluir qualquer alimento na sua refeição.


Pro conhecimento da época isso foi uma revolução, mas com a evolução da nutrição e o reconhecimento que nem todo carboidrato é igual começou a ficar ultrapassado e demasiado restritivo sem necessidade, e eu vou te explicar porque mais na frente.

2 - Contando os carboidratos líquidos


Uma contagem de carboidratos um pouco mais elaborada é utilizada ao se contar apenas os carboidratos líquidos de um alimento e assim manter também uma quantidade que não ultrapasse um limite diário pré estabelecido. Por exemplo, um alimento que contenha 20g de carboidratos totais, não quer dizer que vai ter 20g de carboidratos que serão convertido em glicose no seu organismo. Pois destes carboidratos totais tem incluídos fibras e álcoois que não sofrem o mesmo tipo de conversão.


As fibras contidas no alimento não são convertidas em glicose, e os álcoois só metade é convertido. Assim, se o alimento tem 20g de carboidratos, mas destas 20g, 10g são fibras e 10g são álcoois, então poderemos subtrair destas 20g o total de 10g de fibras, ficando com apenas 10g de carboidratos, e metade das 10g de álcoois (5g), ficando assim com apenas 5g de carboidratos líquidos.


Bom, esta conta já é mais exata, e já considera que existe mais de um tipo de carboidrato, mas o que ela não considera é o índice glicêmico, o índice insulinêmico e o teor de frutose deste alimento, que pode influenciar na perda de peso independente da quantidade que está sendo consumido. Continue lendo que irá entender melhor.


3 - O índice glicêmico


A descoberta do índice glicêmico dos alimentos foi um grande salto evolutivo na ciência nutricional, pois não bastava apenas ficar contando os carboidratos, mas sim saber a velocidade com que este carboidrato vira açúcar no sangue, o que leva a picos de insulina travando o emagrecimento, mesmo em pequenas quantidades. Assim a Low Carb começou a escrever uma nova história, sem tanta restrição e com mais ciência nutricional a favor do emagrecimento.


4 - A carga glicêmica?


A carga glicêmica de um alimento é feita multiplicando-se o índice glicêmico do alimento pela quantidade em gramas de carboidrato e dividir por 100. Assim você chega a um valor para cada alimento. E existem pessoas que defendem que este seria o valor correto a se considerar para saber se um alimento engorda não. Mas eles estão redondamente enganados (literalmente).


Pois, por exemplo, de acordo com esta teoria, a melancia e a banana teriam baixa carga glicêmica, só que elas tem altíssimo teor de frutose, que é um tipo de açúcar que se não for queimado rapidamente como energia vai direto para o fígado e vira gordura. Por isso se você se basear na QUANTIDADE do carboidrato presente no alimento sem considerar a QUALIDADE do carboidrato, você estará errado.


5 - O índice insulinêmico


O índice insulinêmico é um valor que utilizo em conjunto com o índice glicêmico para definir se um alimento é ou não é Low Carb. Acho ele importante porque nem todo alimento precisa virar açúcar para movimentar a insulina e atrapalhar o emagrecimento. Você quer um exemplo? Existem aminoácidos que são derivados de proteínas mas tem o poder de movimentar insulina, como a glutamina e o BCAA por exemplo.


6 - Pelo teor de frutose


Outra forma de identificar se um alimento é ou não é Low Carb é pelo seu teor de frutose. Isso vale principalmente pras frutas. Quanto maior o teor de frutose (que é o açúcar das frutas), pior para a perda de peso. E a frutose tem uma característica interessante. Ela não vira glicose quando absorvida e nem movimenta insulina. Mas se não for queimada rapidamente como energia vai direto para o fígado e vira gordura. Por isso você encontra produtos como o açúcar do coco ou da maçã, dizendo que é de baixo índice glicêmico, e na verdade engordam horrores. Sim, realmente eles não aumentam a glicemia, mas a própria frutose leva ao ganho de peso.


Até aqui você viu 6 formas para avaliar se um alimento é ou não é Low Carb. Agora você entende porque não dá certo ficar seguindo um monte de profissionais diferentes para fazer a dieta? Alguns só consideram o índice glicêmico, outros a quantidade de carboidratos, outros a carga glicêmica e por aí vai. Você precisa escolher apenas uma pessoa, para poder fazer a dieta como ela ensina, e assim conseguir os seus resultados. Caso não consiga, aí sim, parta para o próximo.


7 - Pela quantidade de gorduras


Uma forma simples de descobrir se um alimento é Low Carb é ver a quantidade de gordura que ele contém. A gordura é o macronutriente que menos movimenta insulina, por isso um dos mais seguros para se consumir. Quer um exemplo. Compare a diferença da quantidade de gordura do abacate (MUITA) e da uva (ZERO). Fica fácil ver quem é, e quem não é.


8 - Pela quantidade de fibras


As fibras são um tipo de carboidrato não digerível e por isso pode ser utilizado em dietas de baixo carboidrato. Um exemplo claro disso são as sementes, que são muito ricas em fibras (como a chia por exemplo) e podem ser utilizadas na dieta.


9 - Pelo tipo de proteína


Nem todas as proteínas são totalmente liberadas na Low Carb, ainda mais se formos tratar de proteínas isoladas como BCAA, Whey Protein, Glutamina, etc. Estes produtos são ricos em aminoácidos não essenciais, que necessitam da insulina para serem absorvidos. Por isso se você faz a dieta, mas fica tomando estes suplementos, não consegue perder peso, e depois não sabe porque. Já os ovos por exemplo são um ótimo exemplo de um alimentos rico em proteínas que não movimentam a insulina, e por isso eles são liberados na dieta.


10 - Pelo tipo Metabólico


Eu utilizo para selecionar os alimentos que considero Low Carb pelo Índice glicêmico, Índice Insulinêmico e Teor de Frutose. Mas todo esse conhecimento é praticamente inútil se você não souber individualizar a dieta. Isso porque o metabolismo de cada pessoa é diferente, e mesmo que um alimento seja low carb, ele pode ajudar uma certa pessoa a emagrecer, mas pode engordar outra. ISSO MESMO: ENGORDAR.


Claro que não é engordar como faz o trigo e o açúcar, mas pode ser o bastante para deixar o emagrecimento travado e fazer a pessoa desanimar da dieta.


Por isso na minha consulta eu faço através de questionários específicos um rastreamento metabólico e genético para poder individualizar a dieta para cada paciente.


COLOQUE ISSO NA CABEÇA: NEM TUDO QUE É LOW CARB EMAGRECE TODO MUNDO.


A DIETA TEM QUE SER INDIVIDUALIZADA e na minha consulta eu vou te explicar isso melhor.


Acesse: https://www.drturisouza.com e VEM EMAGRECER COMIGO


Saiba mais sobre o assunto no vídeo abaixo!


39 visualizações0 comentário