top of page
Buscar

Dicas para sair do Efeito Platô na Dieta Low Carb




O primeiro ponto importante a respeito do efeito platô é que você precisa identificar ele com precisão. Muitas pessoas acompanham o seu peso diariamente (o que eu já não recomendo) e acham que porque ficaram alguns dias sem perder peso já estão no platô.


Outras pessoas até acompanham semanalmente (que é a forma que eu recomendo) mas com apenas 1 semana sem perder peso já entram em desespero achando que também já estão no platô.


Na verdade uma semana sem perder peso pode ser o que eu chamo de uma platô temporário, que pode ser vencido sem fazer nada na semana seguinte. Agora a partir de 15 dias sem emagrecer, já podemos começar a considerar sim um platô, e devemos então utilizar algumas estratégias para vence-lo.


1 - Corrija a sua dieta


Muitos pacientes chegam no meu consultório dizendo que estão a meses ou anos no efeito platô, mas quando eu vou pesquisar não estão fazendo a dieta corretamente. Ou fazem errada por falta de informação de qualidade, ou porque saem nos finais de semana, ou fazem a famosa refeição livre semanal.


Bom, se esse é o seu caso, você não pode dizer que está no efeito platô. O efeito platô só pode ser identificado quando você está fazendo a dieta 100%, sem um escorregão, a pelo menos 15 dias, e nem a balança, nem as medidas diminuem.


Este ponto das medidas também é importante. Pois muitas pessoas fazem musculação e ganham massa magra. Como a massa magra pesa mais que a gordura que você queima, muitas vezes a balança não desce, ou até sobe um pouco. Mas nas medidas (principalmente nas abdominais) você consegue ver sua evolução de queima de gordura.


2 - Faça uma Low Carb Individualizada


Outra questão muito comum que leva algumas pessoas ao efeito platô é por estarem fazendo uma Low Carb genérica, sem ser individualizada para o seu metabolismo. Quem me acompanha aqui sabe que hoje trabalho com uma Dieta Low Carb 100% individualizada, que traz resultados incríveis para os meus pacientes.


Após mais de 10 anos de prática clínica e milhares de pacientes atendidos notei que nem todos eles poderiam comer por exemplo gordura a vontade, como eu acreditava inicialmente. E já outros precisam realmente comer para poder perder peso.


Fiz um aprofundamento por vários meses na ciência da individualização metabólica estudada a muitos anos nos EUA e adaptei este conhecimento para trazer uma dieta Low Carb específica para cada paciente meu.


Através dos meus questionários de rastreamento metabólico descubro se o paciente precisa de uma Low Carb mais Carnívora (com muitas proteínas e gorduras), de uma Low Carb mais Vegetariana (Mais focada em vegetais, legumes de baixo amido, frutas de baixa frutose e carnes magras) ou se de uma Low Carb mista, que seria o ponto de equilíbrio entre estes dois extremos. Assim tenho conseguido a cada dia melhores resultados no meu consultório.


3 - Fazer Exercícios


Minha segunda formação na área da saúde é educação física, mas nem por isso eu obrigo meus pacientes a fazerem exercícios. Eu sei o poder que o exercício tem para a saúde e para o metabolismo, mas sei também, por anos de prática, que ele não é obrigatório para se emagrecer na dieta.


Mas isso não quer dizer que ele não ajude, sim ajuda bastante. Eu sempre faço a seguinte comparação: Um avião sobe com 2 turbinas, mas se tiver 3, vai ser bem mais rápido.


Tenho vários casos de pacientes que iniciaram exercícios e conseguiram sair do efeito platô. Mas o tipo de exercício vai influenciar diretamente no resultado, pois, a musculação, apesar de aumentar o metabolismo no longo prazo, pode não trazer resultados na balança (devido ao ganho de massa que já falei aqui anteriormente).


Já os aeróbicos vão agir diretamente na queima de gordura. É legal ter uma orientação sobre a intensidade ideal para você, pois quanto mais intensidade, mais resultado, mas é preciso ter saúde, principalmente osteoarticular para fazer exercícios de alta intensidade.


Tenho várias adaptações também para pessoas com problemas no joelho por exemplo. Isso tudo podemos conversar em uma consulta.


4 - Fazer o Jejum Intermitente


Aqui está uma técnica simplesmente espetacular que, devido ao seu uso incorreto, virou o verdadeiro pesadelo do metabolismo. Para começar as pessoas estão fazendo jejum sem fazer nenhuma dieta. Comem carboidratos à vontade e depois ficam pulando refeições, mas isto só vai levar elas a perder músculos, e queimar gordura que é bom.... Nada!


Por outra tem pessoas seguindo protocolos malucos que acharam na internet, e fazendo constantemente jejuns com mais de 24 horas. O que, além de fazer elas perderem músculos, também vai detonar com os seus metabolismos.


A quantidade de informações disponível nas redes sociais sobre emagrecimento passa a ser uma vilã a partir do momento que você não filtra a fonte que está trazendo este conhecimento.


O jejum é uma técnica espetacular? Sim! Mas tem que ser feita com a dieta certa, no momento correto do seu emagrecimento, com o número de horas melhor para seu momento particular e pulando a refeição mais propícia para o seu Metabolismo. Tudo isso acertamos durante a consulta.


5 - Tomar suplementos para acelerar o Metabolismo


Esta parte é o verdadeiro "pulo do gato" de fazer uma consulta comigo. Através de muito estudo e experimentação eu desenvolvi 12 protocolos de ativação do metabolismo. O primeiro deles é o próprio protocolo do Tipo Metabólico, que vai variar para cada pessoa de acordo com o metabolismo dela.


Os outros tem ligação direta com a fisiologia da queima de gordura e com as glândulas responsáveis por acelerar o nosso metabolismo. São suplementos naturais que podem verdadeiramente "virar a chave" do seu platô e fazer o seu corpo se transformar em uma máquina de queimar gordura.


Para fazer uma dieta totalmente personalizada, com os melhores alimentos, exercícios, jejuns e suplementos, marque uma consulta comigo. É só clicar aqui!

212 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


bottom of page